João Pedro de Arruda Soares, Advogado

João Pedro de Arruda Soares

(13)Primavera do Leste (MT)
9seguidores26seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Advogado, LLM em Direito Empresarial pela FGV
Bacharel pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB, Campo Grande/MS. Experiência de 4 anos na área trabalhista no escritório Carlos Marques e Advogados Associados, Campo Grande/MS. Advogado inscrito na OAB/DF n° 37.156 e OAB/MT n° 20.602/A. Sócio no André Soares Advocacia e Consultoria, Brasília/DF (trabalhista, empresarial, agrário e Tribunais Superiores). Sócio-fundador no Soares e Verdério Advocacia, Primavera do Leste/MT. LLM em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas - FGV. Pós-graduando em Compliance Contratual pela LFG.

Primeira Impressão

(13)
(13)

13 avaliações ao primeiro contato

Comentários

(2)
João Pedro de Arruda Soares, Advogado
João Pedro de Arruda Soares
Comentário · há 7 meses

Recomendações

(9)
Jeferson Cella, Estudante de Direito
Jeferson Cella
Comentário · há 4 anos
Em pequenas e médias empresas é normal a multifunção. Sou proprietário de uma transportadora de porte médio, sou estudante de direito e desempenho todas as funções dentro do nosso negócio. Tenho uma funcionária de 24 anos formada em administração por uma faculdade federal e que tem salário de R$3.400,00 e que no final custa R$4.700,00 ao mês, mas a quantidade de trabalho e o porte de minha empresa não permite que está funcionaria fique apenas responsavel pelo administrativo da empresa. Ela cuida dos documentos de RH, financeiro, contabilidade dando todo o suporte para o contador, e passa o maior tempo respondendo aos clientes na parte comercial que é onde a empresa se sustenta sendo o restante reflexo da parte comercial. Ainda no período da manhã quando estou cursando direito ela que toma as decisões necessáriaa. Considero ela multifuncional dentro do escritório, obviamente ela não vai ainda sair do escritorio para dirigir caminhão e fazer entregas sendo estas funções específicas.
A lei como já dito só vem a preencher as lacunas em aberto para evitar consequências jurídicas, não há exploração, ela aprende todas as funções e se qualifica a cada dia agregando mais valor agregando o seu trabalho, quando começou na empresa a 3 anos recebia 900,00.... Se tivesse q ter uma para faturar, uma para auxiliar no comercial, uma para atender ao telefone, uma para cuidar dos documentos do RH.... eu largo a faculdade, volto a ficar direto na empresa e contrato uma auxiliar para cada função mas q vai receber um normativo de R$ 930,00.
Falam em exploração sempre marginalizando o empresário que é quem da emprego neste país. Exploração que vejo é com colegas principalmente mulheres na faculdade de direito, que são contratadas como "estagiárias" recebendo R$ 600,00 por mês sem CLT por ser estágio, mas na verdade passam o dia atendendo telefone, anotando agenda de audiências, cobrando cliente, servindo cafezinho, limpam o escritório e muitas vezes ainda cuidando de assuntos particulares do patrão Advogado. E sobrando zero tempo para aprender algo do que o estágio se destina, sobrando zero tempo se quer para tirar uma dúvida que some ao seu aprendizado. Isso sim é exploração.

Perfis que segue

(26)
Carregando

Seguidores

(9)
Carregando

Tópicos de interesse

(28)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres
Fale agora com João Pedro
Rua Santo Amaro, n° 680, Sala 4, Centro - Primavera do Leste (MT) - 78850000

João Pedro de Arruda Soares

Rua Santo Amaro, n° 680, Sala 4, Centro - Primavera do Leste (MT) - 78850-000

Entrar em contato